Clique no link abaixo para a discografia completa de Luís Antero, no âmbito das gravações sonoras de campo. Obrigado!

Discografia

Também disponível em Edições SdA, uma série de trabalhos sonoros originais com base em gravações sonoras de campo realizadas no âmbito deste projecto.
Pelo 7º ano consecutivo, a cultura popular da freguesia de Alvoco das Várzeas e do vale do Rio Alvoco estará em destaque neste evento. Porque, estamos em crer, a tradição se transmite, o projecto Sons de Alvoco e a Junta de Freguesia organizam, uma vez mais, a iniciativa Tradição e Transmissão. Este ano, para além do cancioneiro local, a cargo d'As Cotovias do Alvoco e Da Nossa Aldeia - Grupo Vocal Feminino de Alvoco das Várzeas, teremos ainda a exibição da curta metragem "O rio, parte 3", de Luís Antero e Tiago Cerveira e as Adufeiras da Casa do Povo do Paúl.

Menção Honrosa pelo Júri da Juventude Lusofonia Panorama Regional do CineEco 2016 - Festival Internacional de Cinema Ambiental, para o filme O rio - parte 3, de Luís Antero e Tiago Cerveira

A curta metragem O rio - parte 3, de Luís Antero e Tiago Cerveira, foi seleccionada para a XXII edição do CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental, realizado em Seia, entre 8 e 15 de outubro de 2016. O filme passa a 14 de outubro, pelas 18:00.
Depois da exibição em Seia, o filme seguirá o percurso dos festivais da especialidade.


TEASER o rio - parte 3 | um filme de Luís Antero e Tiago Cerveira from rioalvoco on Vimeo.

 

Estão já disponíveis na plataforma Vimeo os filmes "O Rio" e "O Rio - parte 2", de Luís Antero e Tiago Cerveira.

Link: O Rio e O Rio - parte 2

(https://vimeo.com/search?q=lu%C3%ADs%20antero%20e%20tiago%20cerveira)

"Os filmes "o Rio" e "o Rio - parte 2" vêm na sequência do projecto artístico e de arquivo e documentação das paisagens e marcos sonoros do vale do rio Alvoco, Sons de Alvoco (sonsdealvoco.yolasite.com), nomeadamente através da edição dos trabalhos sonoros da série O Rio na netlabel Impulsive Habitat (links em baixo), a que o projecto O Meio e a Gente (facebook.com/O-Meio-e-a-Gente) se associou.

Assim, é no cruzamento do som com a imagem que se constroem estas outras paisagens, bebendo sempre da base humilde deste vale, da sua natureza, arquitectura e gentes, com a certeza que estaremos a contribuir também para o seu conhecimento e enriquecimento."

Luís Antero e Tiago Cerveira
novembro 2015


Audio links:

O Rio, Vol. 1 – impulsivehabitat.com/releases/ihab038.htm

O Rio, Vol. 2 – impulsivehabitat.com/releases/ihab078.htm

O Rio, Vol. 3 - impulsivehabitat.com/releases/ihab103.htm


 

 

Todos os anos, em junho, a tradição religiosa se repete em Alvoco das Várzeas. A festa do Santíssimo Sacramento junta novos e velhos na igreja e depois na procissão que percorre algumas das artérias principais da aldeia, principalmente pelo seu centro histórico.

As colchas continuam às janelas abertas em jeito de devoção e respeito. A capela de São Sebastião tem também as portas abertas para quem quiser lá entrar.

A filarmónica (este ano a Sociedade de Recreio Filarmónica Avoense) marca igualmente e habitualmente presença, marcando o ritmo da procissão e depois, já no largo da igreja, interpretando a Alma de Maestro, antes de o Sr. Acácio Mendes começar a leiloar as tradicionais fugaças oferecidas pelos habitantes da aldeia.

Os mais velhos têm memórias muito ricas acerca desta festa, onde era tradição a comunhão das crianças da catequese. Este ano não houve comunhão. Daqui a dois anos, segundo a D. Fernanda, já não haverá festa. Estas memórias acabam por ser apagadas por uma certa desilusão vivida no presente, principalmente no que toca à não participação dos mais jovens nesta e noutras festas religiosas da aldeia. Antigamente, a malta que vinha da tropa tomava logo conta de tudo, diz a D. Fernanda. O empenhamento (ou falta dele) hoje é outro e virado para outras lides que não estas tradições...

Contudo, o património imaterial da aldeia, nomeadamente o património acústico religioso, é de uma riqueza infinita e dele se recolhe franca alma para a elaboração deste trabalho sonoro.

Ainda nos surpreendemos com algumas histórias - como aquela acerca dos sinos das aldeias vizinhas - e com alguns cânticos religiosos próprios da festa do Santíssimo Sacramento, aqui cantados pela D. Maria e pela D. Fernanda.

Luís Antero | junho 2015


https://sonsdealvoco.bandcamp.com/album/sant-ssimo-sacramento-2015


 



No âmbito da peça de teatro "A Resina e os Resineiros de Alvoco das Várzeas", levada a cena a 16 de dezembro de 2012, pelas catequistas da paróquia de Alvoco (inserida na 3ª edição do evento "Tradição e Transmissão"), resolvi recolher alguns depoimentos acerca desta outrora importante actividade.

Os protagonistas deste trabalho sonoro, de arquivo e documentação, são Acácio Mendes (o "Parente", como lhe chamo) e Assunção Lopes, num importante registo de memória para percebemos o quanto eram difíceis os tempos (anos 50 do século XX) de extracção de resina.

Contudo, nem tudo é sofrimento e trabalho. Há ainda a recordação dos bailes antigos e cantigas tradicionais de Alvoco das Várzeas, pela voz da sempre prestável Assunção Lopes.

Bem hajam!

Luís Antero | março 2015


ouvir/descarregar

 

 

Lançado pela netlabel Impulsive Habitat, O rio/The river, Vol.3 tem, desta vez, a dimensão territorial do vale do rio Alvoco como tema central e o abandono como tema principal.

Rio Alvoco. Alvoco da Serra-Ponte das 3 Entradas. 32km.
Um drone feito de água. O som da trovoada por cima da chuva de fim de Primavera. Um despertador dentro de uma casa modesta numa aldeia quase deserta. Há gente, mas não se vê. Não se ouve. Este é um rio de montanha percorrendo a memória. Gravo os sons companheiros deste percurso, abrigado da chuva, no antigo lagar de azeite da aldeia, agora inutilizado. Vejo, em baixo, o antigo moinho de água, desactivado. Nas ruas continua a não haver ninguém. A chuva volta e com ela a trovoada.


ouvir/descarregar

 



Uma vez mais, a cultura popular da freguesia de Alvoco das Várzeas estará em destaque na 5ª edição da iniciativa Tradição e Transmissão. A música tradicional (com os grupos Cotovias de Alvovo, Da Nossa Aldeia e os Velhos do Colcurinho), o teatro ("Cenas com Azeite", a partir de recolhas populares) e o cinema (O rio, parte 2) fazem o programa da edição de 2014.

Tentaremos ainda lançar neste dia a Rádio Sons de Alvoco, um canal aberto e comunitário acerca da cultura da freguesia de Alvoco das Várzeas e do vale do rio Alvoco, particularmente as freguesias de Vide/Cabeça, Piódão, S. Gião e Aldeia das Dez.


 

o rio - parte 2 | um filme de Luís Antero e Tiago Cerveira from rioalvoco on Vimeo.

Estreia dia 16 de outubro de 2014, às 18:00, no CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela.


o rio - parte 2

Um filme de Luís Antero e Tiago Cerveira

Rio Alvoco. 32 km. Alvoco da Serra-Ponte das 3 Entradas.

'o rio - parte 2' navega pelo território de montanha do vale do rio Alvoco. Percorremos, juntos, os seus socalcos, ouvimos o murmurar generoso das suas águas, escutamos as histórias da sua vivência e olhamos, felizes, para a sua paisagem verde, no vale que constrói a partir da mãe d'água que a sabedoria popular nos disse existir em determinado local.

o rio Alvoco é um rio de história, de saberes ancestrais, de vivências coletivas, de um riquíssimo património material e imaterial que, uma vez mais, tentamos espelhar através da arte do som e da imagem.

Luís Antero e Tiago Cerveira

setembro de 2014

 



Em tempos idos, a festa e procissão em honra de São Sebastião, na aldeia de Alvoco das Várzeas (Oliveira do Hospital, Coimbra), realizava-se em janeiro. Com a gradual saída de muitos habitantes da aldeia para outras paragens, deixou de se realizar esta festa naquele período, passando o mês de agosto a ser o eleito para o efeito. Os devotos de S. Sebastião reúnem-se então para a missa na capela e respectiva procissão pelas ruas antigas da aldeia, ao som da música filarmónica. Manda também a tradição que os ex militares, fardados, levem o andor do santo.

Peça sonora produzida para a chamada de rádio da stress.fm, "Acesso/Fronteira", no âmbito do Festival CALE 2014, Fundão.

ouvir/descarregar: bandcamp


 

 

"Tear de Memórias" é uma peça sonora originalmente criada como instalação sonora da Exposição Etnográfica de Tapeçaria Tradicional de Viriato Gouveia, patente no Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva, na localidade de Bobadela e produzida pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, no passado mês de junho de 2014.

Este trabalho é uma viagem pela memória de um tempo em que a tecelagem tradicional do concelho de Oliveira do Hospital, nomeadamente em Aldeia das Dez e noutras aldeias dos vales dos rios Alvoco e Alva, era uma das economias familiares mais importantes.

É também uma viagem pela memória do tecelão e poeta popular Viriato Gouveia, que nos idos dos anos 40 do século XX, estava a II Guerra Mundial em plena ebulição, com 6 anos de idade, começou a dar os primeiros passos num ofício que não mais voltaria a largar, enquanto o seu pai laborava arduamente nas Minas da Panasqueira, impossibilitado assim de encostar à "çadoira", com os pés nas "peanhas" e manobrar a "lançadeira", de cá para lá, para que tapetes e mantas de fitas ficassem prontas para as muitas encomendas solicitadas.

Este trabalho sonoro é dedicado a Viriato Gouveia, amigo, tecelão, poeta e homem de subtis sensibilidades. Bem haja!

"A cultura é um edifício em construção permanente
Tem no passado raízes e no futuro o presente"
VG

ouvir/descarregar: bandcamp

 

Sons de Alvoco - Paisagens e Marcos Sonoros do vale do rio Alvoco, faz agora parte do projecto europeu Promoriver, nomeadamente através de um estudo de caso na vertente "Rivers, Art and Culture".

toda a info aqui


 

o rio | um filme de Luís Antero e Tiago Cerveira (versão curta)

from rioalvoco on Vimeo

Sinopse:

Rio Alvoco. Alvoco da Serra-Ponte das 3 Entradas. 32km.
Rio de montanha, o Alvoco percorre um vale outrora fértil de quase tudo, desde os peixes abundantes aos produtos semeados e recolhidos nas suas margens ricas, dando a água igual alimento para o funcionamento dos moinhos.
Hoje, o que existe desta realidade antiga e dinâmica é apenas a memória, uma memória colectiva que teimamos em não deixar morrer.
Através da prática artística, da recolha de sons e imagens, damos o nosso contributo para a perpetuação desta memória, em homenagem àqueles que fizeram, fazem e continuam a fazer deste um vale de pura poesia
.

um filme de Luís Antero e Tiago Cerveira

 



Desde há 4 anos que este projecto de arquivo e documentação das paisagens e marcos sonoros do vale do rio Alvoco - Sons de Alvoco - em estreita parceria com a Junta de Freguesia, organiza o evento Tradição e Transmissão - A Cultura Popular da Freguesia de Alvoco das Várzeas.

Em 2013 estendemos esta iniciativa por 3 dias, contemplando temáticas tão diversas como o cinema (exibição do filme o rio), as paisagens sonoras (o Concerto Para Olhos Vendados), o cancioneiro popular (concertos com o Grupo Vocal Feminino - Da Nossa Aldeia, Grupo de Cantares As Cotovias do Alvoco e ainda Os Velhos do Colcurinho), a fotografia (com um conjunto de fotografias do espólio do Hélder Madeira, a que chamámos Alvoco Antigo) e a poesia local e de autor (onde a nova poesia de autores locais encontra aquela outra que ao longo do tempo se tem escrito sobre Alvoco).

O objectivo, como sempre, a preservação e divulgação do património cultural imaterial da freguesia. A tradição transmite-se, uma vez mais.

 

 

O rio/The river, Vol. 2

Memória e Identidade/Memory and Identity (36:16)


Se no primeiro volume de O Rio/The River se deu importância ao elemento água, como elo de ligação primordial entre os povos ribeirinhos do vale do rio Alvoco, este segundo volume, resgata à memória sonoridades e identidades há muito perdidas no tempo.

Partiu-se para este trabalho com base nos testemunhos de José Borges, antigo guarda-rios, e de outros três habitantes da aldeia de Barriosa (Seia, Portugal), a D. Leonor e o marido, António Pereira e um vizinho, António Freire, que relataram os usos e costumes antigos aplicados na moagem do milho e do centeio, nos moinhos outrora existentes na aldeia e situados ao longo das margens do rio Alvoco.

Estes testemunhos, embora pertençam à memória colectiva da aldeia de Barriosa, são comuns ao restante território ribeirinho e são repositórios de uma identidade sonora que estes lugares transportam. Hoje em dia estes moinhos já pouco trabalham e a profissão do guarda rios, que zelava pela água que os movia, também se extinguiu. Aqueles que foram recuperados, fruto da vontade de alguns indivíduos em salvaguardar o património molinológico, não funcionam como outrora, partilhados comunitariamente pelo povo que deles retiravam o sustento dos seus dias.

Há toda uma identidade sonora em risco de se perder. A “morte” destes sons, outrora característicos do rio e das aldeias a ele encostadas, parece andar de mãos dadas com a extinção de algumas profissões que antigamente lhe davam alento, os guarda rios e os moleiros e moleiras do vale do rio Alvoco. Será esta “morte” tão definitiva como a que se ouve anunciar pelo toque do sino repicado pelas mãos calejadas do Serafim (Apelido), habitante de Alvoco das Várzeas? (Oliveira do Hospital, Portugal).

É certo que as aldeias ainda não estão mortas, mas a sua vida não é mais a mesma de tempos de antanho. Os rodízios dos moinhos já não funcionam e a figura do guarda rios há muito que deixou de zelar pelas águas cristalinas do rio.

Que caminho tomar para resgatar do esquecimento todas estas vivências e formas de vida? Partir à descoberta de quem realmente fez deste património a sua memória e identidade, quem escutou atentamente os murmúrios que o rio tem para contar. Será nesta auscultação no tempo presente que se pode perceber e salvaguardar o passado sonoro destas aldeias.

Na certeza de a morte existir como realidade incontornável da dimensão natural e humana, estes sons podem desaparecer se nada se fizer para a sua proteção. Na dúvida da sua permanência, ou regresso, encetou-se a quimera de os recolher para os legar às gerações vindouras.


Luís Antero | julho 2013

(revisão: João Orlindo)

ouvir/descarregar

 

 

 

  

 

 

 

 

Alvoco Soundscape # 2 | Alvoco, Uma Paisagem Sonora, Vol. 2 é o 2º registo sonoro totalmente dedicado à freguesia de Alvoco das Várzeas e faz parte da série 4 Aldeias que tem vindo a ser lançada mensalmente na plataforma Bandcamp - www.luisantero.bandcamp.com - e compilada, de 4 em 4 meses, na netlabel MiMi, de Coimbra.

Neste trabalho, a tradição oral encontra a(s) ambiência(s) sonora(s) da freguesia de Alvoco das Várzeas e parte em descoberta de mais um pedaço de memória coletiva, em homenagem a todas as mulheres e homens que fizeram (e fazem) desta terra o que ela é e representa...

Luís Antero, fevereiro de 2012    

                                                                                                                     

Alvoco - Uma Paisagem Sonora, Vol. 2 (26:30) 

00:00-04:00 - chuva e trovoada

03:50-07:25 - as ovelhas do Zé Gonçalves
07:15-08:24 - a gaita do Zé do Parente
08:20-10:51 - procissão do Santissimo Sacramento
10:45-13:38 - sobre o tempo em que se lavava a roupa no rio e a escola tinha 88 crianças
13:36-14:21 - procissão do Santissimo Sacramento 2
14:10-19:45 - passarada alvocense e a labuta do Manuel Dias
18:44-26:30 - Ponte da Ribeirinha (excerto)
21:51-26:17 - "não tenho patuá pa paleios" (o meu tio Zé)

para o meu tio Zé...

Gravações sonoras de campo/Field Recordings: Luís Antero
Local/Location: Alvoco das Várzeas (Oliveira do Hospital, Portugal)
Data/Date: 2011
Equipamento/Equipment: Zoom H4
Capa e Fotos/Cover Design & Photos: Hélder Madeira/Luís Antero
(cc) 2012


ouvir/descarregar


 

Esta é a primeira edição de um conjunto de trabalhos sonoros que pretendo desenvolver acerca do rio Alvoco. Este rio, numa extensão de 37km, nasce na Serra da Estrela (a maior de Portugal continental) e desagua na Ponte das 3 Entradas, onde se junta ao Alva, seguindo daí até à foz, no rio Mondego (Coimbra). A primeira parte deste projecto, que aqui se apresenta, dá especial atenção à água, nas suas várias dinâmicas sonoras. Recorrendo a gravações sonoras de campo, percorri várias zonas do percurso fluvial do rio Alvoco e registei as suas ambiências. O que aqui se espelha é somente uma certa identidade sonora que este rio comporta. Muitas mais existirão e serão motivo de futuros trabalhos sonoros. Este é um rio rural, caracterizado também por ter diferenças de caudal ao longo do seu percurso, o que potencia a existência de diversos tipos de sonoridade. Foi essa diversidade que tentei captar para este primeiro volume. O rio Alvoco funciona como um postal de toda esta zona, mas as profissões que nele se exerciam (moleiros, guarda-rios...) há muito se acabaram, restando agora somente o prazer da pesca e a diversão dos banhos nos meses quentes de Verão. A água, essa, é eterna e, parafraseando Murray Schafer, "nunca morre".


This is the first edition of a large soundwork that I intend to build on the river Alvoco. This river, a distance of 37km, is born in Serra da Estrela (the highest point in Portugal) and flows into Ponte das 3 Entradas (a bridge with 3 entries), where it joins river Alva, following thence to the mouth, the river Mondego (Coimbra ). The first part of this project, presented here, gives special attention to water in its various dynamic sounds. Drawing on field recording, I visited various parts of the river course and registered their environments. What is reflected here is only a certain sonic identity that this river behaves. Many more exist and are sound reasons for further work. This is a rural area, also characterized by having different flow along its route, which further strengthens the existence of various types of sound. It is this diversity that I tried to capture in this first volume. The river Alvoco acts as a postcard from the whole area, but the professions that it is exercised (millers, kingfisher ...) is long gone, leaving now only the pleasure of fishing and the fun of bathing in hot summer months . Water, that is eternal and, to paraphrase Murray Schafer, "never dies."

Luís Antero | Setembro 2011

Author: Luís Antero
Title: Luís Antero - O Rio / The River (Vol.1: Água/Water)
Track: Water (19:16)
Style: Field Recordings
Locations: Alvoco da Serra, Aguincho, Barriosa, Vide, Alvoco das Várzeas, Ponte das 3 Entradas (Portugal)
Recordings: 2010/2011
Equipment: Zoom H4
Year: 2012
this work contains pure field recordings

ouvir/download

 

 

É já dia 08 de dezembro que se realiza a 2ª edição do Tradição e Transmissão. Neste evento, tal como em 2010, a cultura popular de Alvoco das Várzeas estará em destaque.

O cancioneiro de raiz popular, de Alvoco e do vale do rio Alva, assim como a temática sobre a ancestralidade dos moinhos e moleiras, que outrora existiam em abundância nesta zona, vistos à luz do teatro amador produzido pelas catequistas da paróquia de Alvoco das Várzeas, estarão em destaque. A  tradição transmite-se.

 




WORKSHOP DE GRAVAÇÕES SONORAS DE CAMPO EM CONTEXTO RURAL
 

23 Julho | 14:30-16:30 e 17:00-19:00 | limitado a 10 participantes

Inscrições gratuitas em sonsdealvoco@gmail.com


Aproveitando a belíssima zona onde se realiza o refresh – Arts & Music Festival, este workshop, sob orientação de Luís Antero (www.luisantero.yolasite), tem por objectivo a escuta e captação de sons, recorrendo a equipamento digital de gravação (gravador digital, hidrofone e microfone de contacto).

Esta iniciativa realizar-se-á em Alvoco das Várzeas e dela farão parte a gravação de sonoridades fluviais (no rio e na levada comunitária), de lavoura (gravação em campos agrícolas, gado, etc.), naturais (aves) e tradição oral (histórias locais e cancioneiro).

Das gravações resultantes deste workshop será produzida uma paisagem sonora que fará parte do arquivo da fonoteca da freguesia de Alvoco das Várzeas e será editada em formato mp3 na netlabel Green Field Recordings (www.greenfieldrecordings.yolasite.com).

Todos os participantes receberão igualmente esta edição em formato cd-r.

 

 


Alvoco Soundscape # 1 (Alvoco - Uma Paisagem Sonora) é o 1º trabalho sonoro totalmente dedicado a Alvoco das Várzeas e foi editado pela MIMI Records, de Coimbra. Os textos abaixo ajudam a contextualizar esta peça.

O espírito de saltimbanco de Luís Antero percorrendo o país em busca de sons e histórias que muitos de nós desconhecemos pode torná-lo num novo Giacometti.
Ao longo de 36 minutos Luís Antero oferece-nos os sons da natureza da zona do Alvoco e algumas das histórias da vida quotidiana contadas na primeira pessoa por habitantes da região.
Alvoco Soundscape #1 é a primeira viagem pelas paisagens sonoras de Alvoco das Várzeas e mais um excelente registo etnográfico português.

Fernando Ferreira (MIMI)


Alvoco Soundscape # 1 / Alvoco – Uma Paisagem Sonora constitui, como o nome indica, um trabalho sonoro, realizado com base em gravações sonoras de campo inalteradas durante 2010, sobre a aldeia de Alvoco das Várzeas, concelho de Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra.
A água do rio Alvoco, alimento deste povo, é onde tudo começa… A partir dele, a água chega à levada comunitária (das maiores do distrito), contam-se histórias de vida passada à custa de muito trabalhar e a terra abre os braços para a entrada do tractor, um dos símbolos sonoros desta aldeia da beira serra. Mas perspectiva-se também o futuro através das brincadeiras de alegria transbordante própria das crianças e envolve-se tudo isto no manto do cancioneiro popular cantado no feminino.
Oferece-se assim Alvoco das Várzeas, através da sua identidade sonora, através da sua paisagem imaterial. Bem-vindos!

Luís Antero, Janeiro 2011

ouvir/download

                                                                                                                                                                                                                                                                                                             

 

 

O cancioneiro popular de Alvoco das Várzeas é, neste momento, divulgado por 3 entidades musicais diferentes que, cada uma à sua maneira, preserva e divulga tão importante legado musical.

O canto vocal da Juventude Anos 60 de Alvoco, o cancioneiro interpretado à luz da origem pelo Grupo de Cantares As Cotovias do Alvoco ou a electrónica ao serviço da música popular de Luís Antero, todos servem o mesmo propósito: a tradição e transmissão do cancioneiro popular de Alvoco das Várzeas.

Para além destes 3 projectos, o Grupo de Catequistas da Paróquia de Alvoco das Várzeas promove a peça de teatro A Levada Comunitária de Alvoco das Várzeas, a partir de recolhas populares.
Vai ser assim na tarde de 12 de Dezembro, a partir das 15:30.

 


No próximo dia 13 de Novembro, pela segunda vez, darei um workshop de gravações sonoras de campo, sob o tema «Paisagens Sonoras de Alvoco das Várzeas»

O local deste workshop é a bonita e sonora aldeia de Alvoco das Várzeas, no sopé da Serra da Estrela. Esta acção dividir-se-á em 3 partes - teoria, recolhas fonográficas e edição do material gravado. Todos os interessados devem inscrever-se até ao dia 12, através do mail sonsdealvoco@gmail.com